quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Super sincero?

"Paus e pedras podem quebrar meus ossos, mas as palavras não podem ferir-me". Esse é um ditado popular comum e sempre pronunciado por pessoas que não querem dar o braço a torcer quando ouvem palavras ásperas ou que tem intenção de ferir.
A verdade é que as palavras influenciam a nossa vida. Elas nos alegram ou nos entristecem. Não é à toa que Provérbios diz "A palavra certa na hora certa é como um desenho de ouro feito em cima de prata." (Pv 25.11 - NTLH).
"Sou uma pessoa sincera. Tenho orgulho disso. Digo o que penso... e pronto."
"A gente tem que dizer sempre a verdade, doa a quem doer!"
Alguma vez você já disse algo parecido? Bom, eu já. Pelo menos essas eu já usei por aí. E quer saber? É verdade. A Bíblia diz mesmo que a gente tem sempre que falar a verdade. Agora a parte do "doa a quem doer"...

Já conheceu alguém estúpido? Sim, aquele tipo grosseiro, que age sem levar o sentimento dos outros em consideração. Pois tem gente que justifica sua estupidez ou grosseria, dizendo-se "sincero". Em nome dessa tal "sinceridade", vive a agredir os outros com palavras rudes e cruéis que, segundo ele, não passam da mais pura verdade.

"Não digam palavras que fazem mal aos outros, mas usem apenas palavras boas, que ajudam os outros a crescer na fé e a conseguir o que necessitam, para que as coisas que vocês dizem façam bem aos que ouvem" (Ef 4.29 - NTLH).

Quando for dizer alguma coisa, use palavras boas, gentis, amáveis. Fale de modo que ajude os outros a crescer e melhorar. Diga a verdade de modo que faça bem a quem ouve.

Também há pessoas que dizem a verdade de um jeito tão ofensivo, que agride o outro. É quem se orgulha de ter dito a verdade "na cara" de alguém. Não escolhe palavras gentis para falar o que pensa, vai logo dizendo palavras cruéis, num tom de raiva, para ofender o outro.
A verdade mesmo é que muitas vezes usamos a desculpa de "falar a verdade" quando estamos irados com alguém. Cheios de raiva, ou indignados por algo que essa pessoa disse ou fez, queremos ofendê-la porque nos sentimos ofendidos por ela. É um tipo de vingança. Usamos palavras duras e cruéis para feri-la, assim como ela nos feriu. Em momento algum nosso intuito foi o de abençoá-la com a verdade.

"Amem uns aos outros e sejam educados e humildes uns com os outros. Não retribuam mal com mal, nem insulto com insulto, ou ofensa com ofensa. Pelo contrário, paguem a ofensa com uma bênção, falem coisas boas, que abençoam. Refreiem a língua do mal, não falem coisas más. Afastem-se do mal e façam o bem; procurem a paz e façam tudo para alcançá-la" (1Pe 3.8-11 - NTLH / paráfase).

De acordo com a Bíblia, é lícito "dizer a verdade" para retribuir mal com mal, devolver um insulto, vingar uma ofensa com outra ofensa?

Se alguém lhe fez mal, não retribua com outro mal.
Se alguém lhe ofendeu, não devolva a ofensa.
Se alguém lhe insultou, retribua com palavras boas, abençoadoras.
Faça o bem. Busque paz. Faça de tudo para isso (inclusive refrear sua língua!).
Ao dizer a verdade, diga de forma que faça bem a quem ouve.

Todo mundo tem defeitos, certo? Alguns incomodam mais, outros menos. Ninguém gosta que os outros apontem os nossos defeitos - isso dói, dói muito! Mas tem gente que adora fazer isso. Na hora de uma discussão, vai logo "colocando o dedo na ferida". Despeja um monte de críticas cruéis, reclamando de todos os defeitos do outro, especialmente daqueles que sabe que doem mais - isso é crueldade!
Apontar os defeitos dos outros de propósito é maldade, sim! É verdade, ele tem mesmo esse ou aquele defeito. Mas ao "jogar na cara" a gente sabe que vai fazê-lo sofrer.

"Longe de vocês toda amargura, toda mágoa, todo ódio e toda raiva. Nada de gritarias, insultos, ofensas e maldades. Pelo contrário, sejam bondosos e compassivos uns com os outros. E perdoem uns aos outros, como também Deus, em Cristo, perdoou vocês" (Ef 4.31-32 - NTLH / paráfase).

Se alguém tem um defeito que lhe incomoda, não cultive ódio nem amargura. Cultive a bondade e a compaixão, que inclui ter tolerância e misericórdia por causa da fraqueza alheia. Perdoe as falhas dos outros. Perdoe como Cristo perdoa as suas falhas. Quando a verdade for dura, primeiro encha seu coração de amor e misericórdia (1Co 16.14) - perdoe, ore, ame... só depois, em atitude de amor e bondade, converse usando palavras que abençoam.

Não adianta apenas "falar a verdade". Importa também o modo como fazemos isso. A verdade não tem que doer, não tem que ferir, não tem que arrasar ninguém! Você precisa escolher a hora certa e as palavras certas - palavras que abençoam, que edificam, que fazem bem ao próximo. Só vale falar a verdade em atitude de pleno amor cristão.
E aí, pronto pra mudar de atitude?

(Revista Mega Teen)